Essas Organizações Endossam Oficialmente a Dieta Vegana

Conheça 10 Organizações que Endossam Oficialmente a Dieta Vegana

A nutrição vegana faz parte de uma cosmovisão que compreende diferentes aspectos da nossa relação com o meio natural e social. Neste artigo, te contamos quais organizações endossam oficialmente a dieta vegana.  

Adotar uma alimentação a base de plantas (plant-based) não significa comer salada todo dia, nem falar o tempo inteiro sobre o aquecimento global. É muito mais do que isso e, para entendê-la, é preciso conhecer os benefícios que oferece à nossa saúde e ao bem-estar do planeta. 

A sustentabilidade que estaria implicada em um modo de produção baseado nas plantas é sinônimo de respeito e cuidado. Não apenas em relação aos direitos dos animais, mas também aos direitos sociais. Nossa intenção é liberar o veganismo, tantas vezes incompreendido e denegrido, dos mitos e ficções que ainda o rodeiam. 

10 Organizações que Endossam a Dieta Vegana

A dieta vegana é apta para todas as pessoas, em qualquer etapa de suas vidas. A alimentação plant-based ganha cada vez mais reconhecimento, inclusive durante a gravidez, a amamentação e a infância. Quais são organizações que endossam oficialmente a dieta vegana? Vamos conferir a seguir: 

Associação Dietética Americana

“Segundo a posição da American Dietetic Association, as dietas vegetarianas planejadas adequadamente, incluindo as dietas totalmente vegetarianas ou veganas, são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem oferecer benefícios à saúde na prevenção e no tratamento de determinadas doenças. As dietas vegetarianas bem planejadas são apropriadas para indivíduos durante todas as etapas do ciclo de vida, incluindo a gravidez, a amamentação, a infância, a adolescência, assim como para os atletas.”

Associação Dietética Britânica

A British Dietetic Association está conformada por mais de 9000 membros, que coincidem ao declarar que esta instituição: 

“renovou seu memorando de entendimento com a The Vegan Society para afirmar que crianças e adultos podem desfrutar de uma dieta vegana equilibrada, inclusive durante a gravidez e o período de amamentação, desde que a ingestão de nutrientes esteja bem planejada.”

Andy Burman, diretor executivo da BDA, expressou que: 

“Estamos muito felizes por ter renovado esse memorando com a The Vegan Society para que possamos continuar nossa relação de trabalho positiva..”

Associação de Dietistas do Canadá

Esta organização mantem uma postura parecida à da Associação Dietética Americana: 

“As dietas vegetarianas oferecem uma série de benefícios nutricionais, que incluem níveis mais baixos de gorduras saturadas, colesterol e proteínas animais, assim como índices mais altos de carboidratos, fibra, magnésio, potássio, ácido fólico e antioxidantes, como as vitaminas C y E, e os fitoquímicos. Constatou-se que os vegetarianos possuem menores índices de massa corporal mais baixos que os não vegetarianos, assim como menor incidência de morte por cardiopatia isquêmica. Os vegetarianos também mostram níveis mais baixos de colesterol no sangue, pressão sanguínea mais equilibrada e menor incidência de hipertensão, diabete tipo 2, câncer de próstata e de cólon.” (Fonte: NCBI)

Academia Espanhola de Nutrição e Dietética

Uma apresentação sobre vegetarianismo realizada durante o Congresso Ibero-americano de Nutrição 2019 indicou que: 

“Estudos prévios demonstraram que o padrão alimentar vegetariano e vegano espanhol se caracteriza por um alto consumo de cereais, leguminosas, frutos secos e hortaliças, bem como pela presença de outros grupos análogos à carne ou substitutos do leite. Estes alimentos devem ser a base do planejamento dietético em consulta e precisam ser escolhidos com a frequência adequada para proporcionar a energia e os nutrientes necessários”

Em 2016 e anos anteriores, a Academia Espanhola já tinha reafirmado que as dietas vegetarianas e veganas são saudáveis. Entre outros motivos, porque contribuem para a prevenção e auxiliam no tratamento farmacológico de doenças crônicas. Partindo de uma perspectiva ambiental, são regimes sustentáveis. Não apenas se adaptam a todas as etapas do ciclo vital do ser humano (gravidez, amamentação, idade pediátrica, etc.), como também são eficazes para reduzir o risco de cardiopatias, hipertensão, diabete de tipo 2, obesidade e alguns tipos de câncer. 

Organização das Nações Unidas (ONU)

Um relatório sobre as mudanças climáticas do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC) incentiva a adoção de uma dieta a base de plantas. Se queremos colocar um freio nas emissões de gases do efeito estufa, é imperativo: 

“O consumo de dietas saudáveis, como as baseadas em grãos, leguminosas, vegetais, frutas secas e sementes, apresentam uma melhor oportunidade de reduzir as emissões de gases do efeito estufa.”

Associação Dietética da Nova Zelândia

A NZDA endossa o documento da Associação Dietética Americana citado acima. O planejamento é chave para conseguir uma nutrição adequada. Basicamente, se reconhece que a alimentação plant-based previne determinadas doenças, além de ajudar no seu tratamento. 

Comitê de Médicos pela Medicina Responsável

Já reúne mais de 12.000 médicos e 175.000 membros do mundo inteiro. Seu principal objetivo pode ser resumido da seguinte forma: 

“O Comitê de Médicos se dedica a salvar e melhorar a vida humana e animal através de dietas baseadas em plantas e investigações científicas éticas e eficazes.”

Organização Mundial da Saúde (OMS)

O relatório sobre mudanças climáticas e território aponta para a necessidade de uma agricultura sustentável e uma mudança na dieta humana. A segurança alimentar e as consequências ecológicas do atual modelo hegemônico de alimentação são os principais eixos que endossam o veganismo. 

Academia Americana de Pediatria

“As dietas vegetarianas e veganas bem planejadas com a atenção adequada aos componentes de nutrientes específicos podem proporcionar um estilo de vida alternativo saudável em todas as fases de crescimento fetal, infantil e adolescente. A educação apropriada da família e o acompanhamento no decorrer do tempo são essenciais.”

Instituto Mundial de Pesquisa em Câncer 

Novamente, o veganismo se mostra sólido no seu caminhar pela jornada rumo a uma ótima saúde. 

“As pessoas que adotam uma dieta vegana e incluem abundantes vegetais, leguminosas, nozes e sementes tendem a mostrar menor risco de câncer e doenças cardíacas.”

Você precisa garantir que está recebendo todos os nutrientes e suplementos necessários. Faça um checkup de saúde e converse com o seu médico para ajustar aquilo que fizer falta. 

Para planejar sua dieta, baixe nosso guia Caminho ao Veganismo. E para organizar as suas comidas semanais, clique aqui. 

Não se esqueça de deixar seu comentário. Estamos ansiosos por ler você! 🙂

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Total Page Visits: 23

También Te Podría Interesar:

×
×

Carrinho