Milhares de Trabalhadores Expostos Ao Coronavírus em Plantas de Processamento de Carne

Milhares de Trabalhadores Expostos Ao Coronavírus em Plantas de Processamento de Carne

Coronavírus em plantas de processamento de carne? Sim, você leu bem! Nos Estados Unidos, milhares de trabalhadores deram positivo para Covid-19. A preocupação com o subministro de carne se contrapõe à suspensão das operações industriais e econômicas.

O coronavírus se manifestou nas fábricas através de surtos na força de trabalho. Inúmeras unidades dedicadas ao processamento e embalagem de produtos animais fecharam suas portas temporariamente. A situação poderia provocar sérias penalizações para as industrias que colocam em risco a saúde da população.

Alerta de coronavírus em plantas de processamento de carne

Nos Estados Unidos, existem aproximadamente 2.700 abatedouros, mas somente 800 são fiscalizados pelo governo federal. Alguns dos maiores representantes foram obrigados a paralisar suas atividades temporariamente.

Por quê? Porque a presença do coronavírus em seus espaços produtivos já é um fato. Milhares de empregados de todo o país testaram positivo e já se registraram mortes.

Os abatedouros de pequeno e médio porte dedicados à carne de porco também estão fechando as portas para limpar suas instalações e realizar testes em seus funcionários. 

Os números Falam

Mais de 6.500 trabalhadores foram infectados pelo coronavírus em plantas de processamento de carne e outros alimentos. E infelizmente, 20 já faleceram.   

  • Diante dos surtos de coronavírus em plantas de processamento de carne, Tyson Foods suspendeu a produção na sua maior planta em Iowa. Nela, trabalhavam aproximadamente 2.800 pessoas e se processava 19.500 porcos por dia. Atualmente, já foram confirmados pelo menos 180 casos positivos.
  • O sindicato dos trabalhadores da indústria avícola afirma que, pelo menos, dois de seus integrantes já faleceram por Covid-19. Eles trabalhavam em uma fábrica de Tyson Foods localizada em Georgia.
  • Funcionários sindicais também informaram outras duas mortes no Colorado e na Pensilvânia. Em ambos os casos, os falecidos trabalhavam em instalações pertencentes a JBS S.A., o maior produtor mundial de carne. Também foram reportados mais de 50 infectados. 
  • Outros 160 casos se registraram na Cargill Inc. (Pensilvânia). Aos quais se somam 190 infectados em uma fábrica de produtos suínos de Smithfield Foods Inc.

A vulnerabilidade das cadeias de subministro frente ao coronavírus é mais uma oportunidade para que nos veganizemos

Com muita variedade de substitutos da carne e dos laticínios, empresas como JUST ganham cada vez mais terreno e seus produtos se posicionam no mercado internacional. As zoonoses estão e continuarão estando na mira daqui pra frente. 

Criminalidade no olho do furacão 

Os executivos das empresas de alimentos como Tyson correm o risco de ter que responder a processos penais pelas decisões que tomaram.

Esse aval recai numa lei estado-unidense conhecida como “doutrina do funcionário corporativo responsável”. Trata-se de uma figura jurídica que permite considerar que altos executivos são responsáveis penalmente pelas más ações e decisões de suas empresas. 

Funcionários da saúde pública afirmaram que as cepas de coronavírus podem sobreviver a temperaturas de congelamento nas embalagens dos alimentos. Além disso, o coronavírus em plantas de processamento de carne implica em outros riscos potenciais.

Se as fábricas continuarem funcionando sem a quantidade suficiente de trabalhadores, poderia aumentar o perigo de contaminação por outros microrganismos, como E. Coli e Salmonela.

Os procedimentos de segurança alimentar são primordiais para manter a saúde e a integridade dos consumidores. E os executivos que não tomem medidas para garanti-los, permitindo o avanço do coronavírus em plantas de processamento de carne, deverão enfrentar as consequências.

Caso ignorem suas obrigações previstas por lei, se transformarão em “funcionários corporativos responsáveis”.

“Sacrifícios como este não podem ser feitos quando a vida das pessoas está em jogo (…) A população pode viver sem carne bovina.” afirmou Cordova, representante do Sindicato Unido de Trabalhadores de Alimentos e Comércio.

Enquanto isso, Trump ordenou que as fábricas de processamento continuem abertas, para resguardar o subministro de alimentos no país. Em contrapartida, o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, expressou:

“Está dizendo que, se um proprietário obriga um funcionário a trabalhar ao lado de uma pessoa doente sem máscara, ele não seria responsável? Isso não faz sentido! 

O que você pensa sobre as consequências do coronavírus na indústria da carne? Esperamos ler sua opinião nos comentários!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Total Page Visits: 37

También Te Podría Interesar:

×
×

Carrinho