A Pandemia de COVID-19 poderia eliminar o Consumo de Carne?

A Pandemia de COVID-19 poderia Eliminar o Consumo de Carne?

A pandemia de Covid-19 deixou transparecer muitos fatos cruciais sobre as sociedades atuais. Um deles é que consumir carne animal pode dar origem e favorecer a proliferação de doenças que afetam os seres humanos. Em 2019, vimos claramente que o modo de produção agropecuário resulta ineficiente e anti-ecológico. A Amazônia está em chamas e os oceanos enfrentam constantes turbulências. 

E agora, em 2020, estando em plena quarentena pela pandemia do coronavírus, sabemos algo mais… A humanidade se viu obrigada a apagar os motores e diminuir o ritmo produtivo. Porém, uma dúvida permanece: Seremos capazes de deter o consumo de carne mundialmente? Ou melhor ainda, eliminá-lo? 

Mercado da carne em tempos de pandemia Covid-19

Estados Unidos:

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou que, apesar do atual surto de coronavírus, os matadouros desse país continuara-o trabalhando com inspetores federais. Uma decisão que, certamente, está influenciada pelo fortíssimo lobby agropecuário.

A pandemia Covid-19 afetou enormemente a indústria desse setor. Os mercados sofrem pelas interrupções nas cadeias de fornecimentos e provedores.

As condições das fazendas e campos industriais geram um caldo de cultivo para inúmeras doenças. Tal como ocorreu no mercado de Wuhan (China).

Reino Unido:

Enquanto isso, no Reino Unido, continua crescendo a pressão para colocar um freio na produção pecuária e diminuir o risco de propagação de novas patologias. 

O grupo Pause the System estimula o governo a proibir a pecuária intensiva e deter a perda da biodiversidade. Esta medida contempla o fim generalizado do comércio de animais.

Emirados Árabes Unidos:

A capital dos Emirados Árabes Unidos também presencia fatos históricos. Abu Dhabi está fechando os mercados que comercializam carnes, peixes e verduras.

Índia:

A indústria do frango na Índia experimenta um colapso em ritmo acelerado. O impacto da queda chegou a ser de 80% nas últimas semanas.

Um rumor dizia que a epidemia poderia ter começado em uma fazenda avícola. Até agora, os números da indústria não mostram sinais de recuperação. 

China: 

O comércio e consumo da carne de animais selvagens foram eliminados na China. O mercado de Huanan vendia legalmente inúmeras espécies silvestres, como morcegos, cobras, civetas (um mamífero de hábitos noturnos típicos da África e Ásia tropical), etc.

Uma pessoa infectada, um grupo de animais ou até mesmo um único animal poderia ser introduzido o vírus no mercado. 

Retomemos nossa pergunta sobre a pandemia de COVID-19 e o “adeus” ao consumo de carne… Certamente, todos concordamos que as pessoas estão muito mais alertas do que antes. Hoje, grande parte da população mundial entende que a disseminação de zoonoses (doenças que podem ser transmitidas ao homem pelos animais) está relacionada com a alimentação. 

Entao, estamos preparados para dar o próximo passo e sair desse ciclo vicioso? O trabalho coletivo por uma transformação de paradigmas já começou e avança a cada dia. E você, já faz parte desse movimento ou ainda está esperando para se unir? 

Agora, queremos saber sua opinião sobre essa transformação mundial. Não se esqueça de deixar seu comentário. Estamos [email protected] por ler você!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Total Page Visits: 41

También Te Podría Interesar:

×
×

Carrinho