A soja faz mal?

Será que a soja faz mal?

A soja é uma planta originária da Ásia. Há muitas décadas, vem sendo incorporada nas dietas ocidentais como alimento e aditivo alimentar. Porém, a popularização do seu consumo sempre foi acompanhada de uma pergunta polêmica… A soja faz mal? 

Neste artigo, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre essa fonte de proteína vegetal. Continue lendo! 

Características Da Soja

Rica em proteínas, essa leguminosa pode ser cozinhada e consumida de muitas maneiras. Seus grãos podem ser amarelos (ou levemente beijes), verdes, pretos e brancos. 

Os grãos verdes são os menos maduros, se denominam edemame e costumam ser cozidos a vapor. Já a soja amarela é utilizada na fabricação de leites vegetais, tofu, tempeh,  tamari (molho shoyu sem glúten) e farinhas para cozinhar. 

Alimentos a base de soja foram reconhecidos como fontes de proteínas de alta qualidade e de gorduras saudáveis. Nos últimos 25 anos, as propriedades medicinais da soja também são alvo de estudos científicos rigorosos. O foco está posto principalmente na sua contribuição na prevenção e no tratamento de doenças crônicas. 

Muito tem se falado sobre os efeitos do seu consumo e ainda há muita discordância sobre seus benefícios e riscos potenciais. A polêmica é ainda maior quando se trata da soja  geneticamente modificada.

Vejamos, então, o que nos transmitem os principais estudos científicos das últimas décadas: 

Benefícios dos Alimentos a base de Soja

  • Existem evidencias de que ajudam a reduzir o risco de doenças coronárias, assim como de câncer de mama e próstata. Também auxiliam na regulação da função renal, no combate da depressão e na saúde da pele.
  • Seu consumo seria seguro para todos os indivíduos, exceto os diagnosticados com alergia à soja (um transtorno pouco frequente). 
  • Alguns estudos sugerem que a ingestão de alimentos a base de soja pode diminuir levemente os níveis de colesterol LDL (o “colesterol ruim”). Além de ajudar a aliviar os sintomas da menopausa, principalmente as ondas de calor. 

Desconstruindo Mitos sobre a Soja

A experimentação em roedores de laboratório deu origem a muitos mitos sobre a soja. Porém, as conclusões desses estudos tem uma capacidade limitada de prever os efeitos desse alimento na saúde humana. Principalmente porque as especies usadas nos testes são bem diferentes do ser humano em aspectos anatômicos e fisiológicos.  

Agora, vamos desconstruir 3 grandes mitos sobre a soja: 

  • 1: A soja “afemina” os homens

Mais de 12 porções diárias seriam necessárias para que exista uma minima possibilidade de provocar alterações hormonais. 

  • 2: Soja causa deficiência/déficit de ferro.

Muito pelo contrário! Os alimentos a base de soja aportam ferro de fácil absorção para o nosso organismo, principalmente quando são combinados com vitamina C

  • 3: O consumo de soja aumenta o risco de desenvolver câncer de mama

Os estudos científicos já mencionados apontam que as mulheres que consomem quantidades moderadas de soja, no decorrer de suas vidas, mostram menor incidência de câncer de mama. Este efeito protetor poderia estar relacionado com seu consumo nas primeiras fases da vida (infância e juventude).  

Também é Importante Considerar:

  • Muitos alimentos a base de soja foram “ocidentalizados” e incluem ingredientes que não provém dessa planta. Por isso, leia atentamente os rótulos dos alimentos e dê preferência aos menos processados/industrializados. Desta forma, você escolherá produtos com melhor e maior aporte nutricional. 
  • Para evitar os OGM (organismos geneticamente modificados) e a exposição ao glifosato, dê preferência aos alimentos orgânicos. Essa sugestão se aplica a todos os alimentos de origem vegetal, já que costumam ser expostos a quantidades significativas de agrotóxicos. 
  • Existem recomendações formais para o consumo da soja. A FDA, por exemplo, recomenda uma dose diária ótima de 25g de proteína de soja para conseguir reduzir o colesterol LDL. Igualmente, estudos clínicos em indivíduos adultos sugerem a ingestão de 2 a 4 porções diárias para obter benefícios reais.  
  • O ideal é incorporar os alimentos de soja para substituir comidas menos saudáveis e complementar uma dieta equilibrada para diminuir o risco de doenças crônicas. A American Heart Association aprova a substituição de produtos ricos em proteínas animais por alimentos ricos em proteínas vegetais, principalmente pelo impacto positivo na saúde cardiovascular. 
  • A alta concentração de proteínas e o baixo índice de carboidratos transforma a soja em uma fonte única de proteínas vegetais, em comparação com outras leguminosas.    
  • A produção de fontes de proteínas a partir de plantas é uma opção sustentável para diminuir a exploração ecológica implicada na criação do gado destinado à industria da carne

Você já incorporou alimentos a base de soja na sua alimentação? E já provou suas versões orgânicas? Compartilhe sua experiência com a gente nos comentários! 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Total Page Visits: 38

También Te Podría Interesar:

×
×

Carrinho